• Visitantes do Site

    contador de visitas
    VISITANTES
  • VEREADORA NO EVENTO DO ROYALTIES

    Clique na Imagem para abrir!
  • SOS REGIÃO SERRANA

  • MINHA BANDEIRA


    O povo me elegeu e por ele eu luto e lutarei!
  • CONTRA A EMENDA IBSEN


  • O PODER DA MULHER QUE ORA

  • TWITTER

  • ARQUIVOS:

  • DOE SANGUE


  • DENUNCIE


  • VILMA DOS SANTOS NA INTERNET

  • VÍDEO 01

  • VÍDEO 02

  • VÍDEO 03

  • VÍDEO 04

REUNIÃO PUBLICA NO AQUIDABÃ

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nesta Terça-feira (16/05), no Iate Cube Aquidabã, foi realizado uma Reunião Pública para discutir sobre o Licenciamento Ambiental das Atividades de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás Natural do Polo Pré-sal da Bacia de Santos – Etapa 1. Participaram da reunião, promovida pelo IBAMA (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis), o secretário de Meio Ambiente Mario Reis, os vereadores da Câmara, representantes do IBAMA, Petrobras, ANP (Agência Nacional do Petróleo) e os munícipes interessados pelo assunto.

 A reunião foi dividida em três palestras e etapa de perguntas. O coordenador de Petróleo e Gás do IBAMA, Cristiano Vilardo fez um panorama sobre o Instituto de Meio Ambiente e explicou a evolução de mais de 50 anos de indústria petrolífera no país. Ele ressaltou que o pré-sal irá triplicar toda a cadeia produtiva do setor que resultará em mais mão-de-obra e o crescimento de todos os setores ligados diretamente e indiretamente ao petróleo.

O superintendente de Participações Governamentais da Agência Nacional de Petróleo e Gás e Biocombustíveis (ANP), Rodrigo Valente Serra explicou os critérios de distribuição dos royalties para os estados, municípios e União. “Os royalties são cobrados de todas as empresas que obtém lucro a partir de uma riqueza de patrimônio da sociedade brasileira, neste caso o petróleo, e não é uma compensação ambiental. Ele é dividido para os estados e municípios através de participação da produção, e/ou extração, e/ou condução do óleo. Uma porcentagem vai para a União e outra pequena porcentagem para as cidades que não participam das atividades do setor petrolífero”, afirmou Rodrigo.

“Dentro dos municípios que estão sob a influência dessa exploração, Angra faz parte da ZPP (Zona de Produção Principal) e isso consolida o município como participante efetivo da produção de petróleo no país”, apontou o secretário de Meio Ambiente, Mario Reis.

A Petrobras, através de seu gerente de Meio Ambiente, Marcos Vinícius de Mello, falou sobre o compromisso com a questão ambiental e ressaltou atividades de monitoramentos e educação ambiental nas áreas em que atua. Marcos frisou que Angra tem um grande potencial, pois está relativamente próxima ao polo de pré-sal e tem um terminal para o escoamento do produto. Ainda explicou o funcionamento da extração do óleo e as atividades para evitar acidentes, como vazamentos.

Por um prazo de 10 dias úteis, a contar da data da reunião, o IBAMA receberá comentários, manifestações e sugestões que serão anexados ao respectivo processo administrativo de licenciamento do empreendimento, em análise no IBAMA, discutido na Reunião Pública de Angra dos Reis.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: