• Visitantes do Site

    contador de visitas
    VISITANTES
  • VEREADORA NO EVENTO DO ROYALTIES

    Clique na Imagem para abrir!
  • SOS REGIÃO SERRANA

  • MINHA BANDEIRA


    O povo me elegeu e por ele eu luto e lutarei!
  • CONTRA A EMENDA IBSEN


  • O PODER DA MULHER QUE ORA

  • TWITTER

  • ARQUIVOS:

  • DOE SANGUE


  • DENUNCIE


  • VILMA DOS SANTOS NA INTERNET

  • VÍDEO 01

  • VÍDEO 02

  • VÍDEO 03

  • VÍDEO 04

05 de Junho – Dia do Meio Ambiente e Ecologia

No dia 05 de junho comemora-se o dia do meio ambiente, a criação da data foi em 1972, em virtude de um encontro promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas), a fim de tratar de assuntos ambientais, que englobam o planeta, mais conhecido como conferência das Nações Unidas.

A conferência reuniu 113 países, além de 250 organizações não governamentais, em que a pauta principal abordava a degradação que o homem tem causado ao meio ambiente e os riscos para sua sobrevivência, de tal modo que a diversidade biológica deveria ser preservada acima de qualquer possibilidade.

Nessa reunião, criaram-se vários documentos relacionados às questões ambientais, bem como um plano para traçar as ações da humanidade e dos governantes diante do problema.

A importância da data está relacionada às discussões que se abrem sobre a poluição do ar, do solo e da água; desmatamento; diminuição da biodiversidade e da água potável ao consumo humano, destruição da camada de ozônio, destruição das espécies vegetais e das florestas, extinção de animais, dentre outros.

A partir de 1974, o Brasil iniciou um trabalho de preservação ambiental, através da Secretaria Especial do Meio Ambiente, para levar à população informações acerca das responsabilidades de cada um diante da natureza.

Mas em face da vida moderna, os prejuízos ainda estão maiores. Uma enorme quantidade de lixos é descartada todos os dias, como sacos, copos e garrafas de plástico, latas de alumínio, vidros em geral, papéis e papelões, causando a destruição da natureza e a morte de várias espécies de animais.

A política de reaproveitamento do lixo ainda é muito fraca, em várias localidades ainda não há coleta seletiva; o que aumenta a poluição, pois vários tipos de lixos tóxicos, como pilhas e baterias são descartados de qualquer forma, levando a absorção dos mesmos pelo solo e a contaminação dos lençóis subterrâneos de água.

É importante que a população seja conscientizada dos males causados pela poluição do meio ambiente, assim como de políticas que revertam tal situação.

No atual contexto político o meio ambiente encontra-se em foco através do novo Código Florestal, que contou com alguns vetos presidências, remontando ao texto originariamente votado no Senado que foi alterado na Câmara dos Deputados.

Onde os temas principais são a recomposição de áreas desmatadas, tendo como discussão a obrigação retroagiria a partir de qual data.

Outro ponto principal seria a questão das áreas ribeirinhas, onde o Projeto aprovado na Câmara tem como ponto de referencia o centro do leito dos rios, já o veto impõe o parâmetro de preservação a partir da margem.

Não podemos deixar de falar sobre a questão do Terminal Petrolífero da Baia da Ilha Grande – TBIG, pois trata-se de uma atividade empresarial que através dos repasses de ICMS e do royalties, sendo certo que Angra se apresenta no topo das cidades exportadoras de petróleos e derivados, importando dizer que traz recursos para manutenção de diversos serviços públicos.

Não podemos deixar de citar que a PETROBRÁS também contribui patrocinando diversos projetos sociais, ecológicos e de preservação de espécies marinhas e reflorestamento.

Contudo, nossa atual preocupação é sensibilizar o Governo do Estado da necessidade de manter-se essa atividade, que somente ser tornará possível com a ampliação e modernização do terminal, principalmente enfatizando o risco dessa exploração migrar para São Sebastião.

Nesse contexto precisamos declinar sobre o desenvolvimento sustentável, e para o caso do Terminal da Petrobrás, precisamos colocar na balança a necessidade da ampliação, principalmente analisando os 35 anos de funcionamento.

A exploração do terminal em momento algum afeta a atividade pesqueira, visto que nos últimos anos o Município tem se destacado como um dos maiores produtores de pescado do Brasil.

Não podemos deixar de citar que muito mais poluidora tem sido o aumento populacional desordenado no município, com a expansão de muitos bairros novos, sem contudo haver um planejamento urbanístico.

O tema do meio ambiente da mesma forma que é muito importante é muito abrangente, sendo certo que precisamos adequar os bens, produtos e equipamentos de forma a minimizar a agressão ao meio ambiente.

Mas o importante é que cada um pode e deve cumprir com o seu papel de cidadão, não jogando lixo nas ruas, usando menos produtos descartáveis e evitando sair de carro todos os dias. Se cada um fizer a sua parte, o mundo será transformado e as gerações futuras viverão sem riscos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: